© 2019 Amoena Portugal

Rodapé_Facebook.png
Rodape amoena.png
O que Pode Ajudar Se Tiver Linfedema? Exercício Físico!

O linfedema aparece frequentemente após a cirurgia do cancro da mama. Veja os nossos exercícios simples

e alguns conselhos para reduzir os sintomas.

O linfedema é causado por lesões do sistema linfático e traduz-se no inchaço de uma parte do corpo. Isto pode acontecer após os tratamentos do cancro da mama, como a cirurgia e a radioterapia. Os movimentos e exercícios ajudam a estimular os gânglios linfáticos saudáveis para fazerem o trabalho dos gânglios danificados e ajudar a prevenir o linfedema secundário. Com a ajuda de especialistas em terapia linfática e em fisioterapia, reunimos alguns exercícios e conselhos.

A atividade física promove a drenagem linfática e pode reduzir o linfedema secundário que pode surgir após a cirurgia do cancro da mama. Uma vez danificados os gânglios linfáticos não podem ser reparados. A boa notícia é que, com um pouco de pratica, os gânglios saudáveis podem ser estimulados para fazer o trabalho dos “colegas” danificados. O exercício físico ajuda neste processo mas é fundamental não exagerar, a chave do sucesso é ir aumentando gradualmente os movimentos, principalmente do lado que foi operado. Eis alguns exercícios:

O que pode ajudar

Nadar e hidroginástica: A pressão leve mas constante da água e a contração dos músculos em movimento, pressionam os tecidos, estimulando a passagem do fluido linfático.

Se já tem linfedema ou problemas circulatórios, certifique-se que a temperatura da água não ultrapassa os 30º centígrados, pois o calor aumenta o fluxo da linfa.

Precauções: Deve evitar nadar se ainda está a fazer radioterapia. A radiação causa vermelhidão na pele e o desenvolvimento de pequenas fissuras. Isto aumenta o risco de infeção, principalmente através de germes nos balneários ou até na própria água.

Caminhada Nórdica, equitação ou treino de força moderada: Os vasos linfáticos funcionam de maneira semelhante ao nosso coração: bombeiam a linfa pelo corpo. O movimento do braço para a frente e para trás durante o exercício físico faz com que os gânglios linfáticos relaxem e se contraiam estimulando o transporte do líquido linfático. O treino de força que ativa a contração muscular também pode ajudar a mover a linfa de volta para as veias e para a circulação.

Yoga e Pilates: os gânglios e o movimento da linfa são estimulados pelo movimento dos músculos quando se contraem e distendem e pela respiração profunda, que fazem parte dos exercícios de Yoga e de Pilates.

O seguinte exercício pode ajudá-la a treinar a respiração profunda:

  • Sente-se no chão ou numa cadeira, mantenha as costas, o pescoço e a cabeça alinhados.

  • Inspire lentamente, sentindo a barriga a distender-se para fora. Este movimento distende o diafragma (o grande músculo abaixo dos seu pulmões) para baixo e os pulmões ficam com mais espaço para respirar. Para aumentar o efeito, coloque as mãos sobre as costelas nas laterais abaixo do peito e imagine que está a separá-las com a sua respiração.

  • Expire lentamente. Relaxe os músculos do pescoço e do peito, deixe descair as costelas e puxe a barriga para dentro, à medida que vai expirando.

  • Pode repetir este exercício quantas vezes quiser, a um ritmo muito lento.

Exercícios com o braço e o ombro: rodar suavemente os braços e os ombros melhora a circulação sanguínea e ativa os gânglios linfáticos saudáveis.

O que deve evitar:

           

  • ...movimentos espasmódicos, alongamentos e balanços exagerados.

      O motivo: se os gânglios linfáticos estão danificados pela radioterapia, o tecido perde muita elasticidade protetora.

      Movimentos irregulares e exagerados podem romper vasos sanguíneos e nervos.

  • ... dor. Se sentir dor pare!

      O motivo: O nosso sistema linfático é projetado para nos proteger de infeções por corpos estranhos. A dor informa o

      gânglio que há uma lesão. Os vasos linfáticos contraem-se para dar ao tecido ao redor da ferida mais linfa para ajudar

      a eliminar bactérias potencialmente prejudiciais.

      O seu objetivo: minimizar a acumulação de linfa.

      O problema: O sistema linfático pode reagir potencialmente a qualquer dor, porque não identifica a ferida que causa a

      dor e a tensão.

Importante: Antes de iniciar qualquer exercício físico após a cirurgia do cancro da mama, informe-se com o seu médico e com o fisioterapeuta sobre qual a modalidade mais adequada para si e quando poderá começar a praticar. Use sempre os seus artigos de compressão durante a prática de exercício físico se já sofre de linfedema. Estes artigos vão ajudá-la a obter melhores resultados pois a sua função é ajudar a drenar a linfa acumulada.

Exercícios Suaves para os braços e os ombros

Os seguintes exercícios são recomendados pelos especialistas do tratamento do cancro da mama. Pode repetir de 5 a 10 vezes cada um.

  • Rodar os ombros

Sente-se numa cadeira com as costas direitas.

Levante os ombros e baixe-os lentamente os mais baixo possível, volte a subir.

Nesta posição rode os ombros em círculo, suavemente, para a frente e para trás, um de cada vez.

  • A Borboleta

Sente-se numa cadeira com as costas direitas.

Entrelace as mãos à volta do pescoço de modo a que os cotovelos apontem para a frente.

Afaste os cotovelos para cada lado o mais possível, assim que sentir alguma tensão, relaxe e traga-os de novo para a frente.

 

  • A Moldura

Fique em pé numa postura direita.

Com a mão oposta segure cada cotovelo à sua frente.

Sem tirar as mãos dos cotovelos, levante-os acima da cabeça o mais possível de uma forma confortável, sem forçar. Mantenha-os nessa posição uns segundos, depois baixe-os de novo.

 

  • O Elefante

Fique em pé numa postura direita.

Segure o pulso esquerdo com a mão direita aberta por baixo do pulso.

Estique o braço esquerdo e levante-o gentilmente até à altura dos ombros.

Mantenha a posição durante uns segundos com a mão esquerda (do mesmo braço) aberta.

Repita o exercício com o braço direito.

  • O “O”

  • Fique em pé numa postura direita.

  • Estique os braços para a frente.

  • Junte as mãos e entrelace os dedos. Levante acima da cabeça os braços esticados com as mãos entrelaçadas, mantenha uns segundos, depois baixe.

Não se esqueça de descansar. Faça pausas durante os exercícios. Assim os músculos e os gânglios terão tempo de recuperar e não sentem qualquer esforço.